Desenvolvimento
Saiba como planejar o intercâmbio de seus filhos

Saiba como planejar o intercâmbio de seus filhos

Além de ser uma experiência inigualável, uma viagem internacional é também uma oportunidade de aprendizado. Veja como se planejar

Fazer uma viagem internacional é o sonho de muita gente. Enquanto a criança ou o adolescente está estudando, esse trajeto pode não servir apenas como diversão, mas também como uma oportunidade de estudos. Conviver com pessoas de outros países acelera a assimilação de um novo idioma e expande as possibilidades de conhecimento.

Logicamente, viajar para fora do país exige mais planejamento e controle. Afinal de contas, o viajante estará exposto a vulnerabilidades que não encontra em seu país de origem. Portanto, é preciso que o estudante esteja preparado para aproveitar seu intercâmbio ao máximo.

Ter atenção à agência e à hospedagem, contar com uma reserva financeira e fazer uma remessa internacional são algumas ações importantes. Confira as dicas.

Procure por uma agência especializada

Uma agência com experiência em intercâmbio consegue garantir os melhores locais para o estudante ficar, com base no momento atual do estudante, além de realizar parcerias com escolas.

Por fim, a empresa vai ajudar a criar um orçamento de gastos durante todo o período em que a criança/o adolescente estiver fora. Isso permite que a viagem seja feita sem sufocos.

Existe intercâmbio para crianças?

A partir dos 7 anos, já é possível realizar um intercâmbio. A criança pode fazer em família, onde viaja com seus responsáveis, ou sozinha, em que vai com um grupo de crianças e é supervisionada durante todo o tempo por monitores.

Escolha o destino

Como observado, após a conversa com a agência é possível decidir melhor sobre o destino do estudante. Logicamente, isso inclui o interesse do estudante sobre qual idioma deseja aprender. A maioria dos intercâmbios é voltada para o aprendizado de inglês, mas o aluno também pode fazer a excursão para aprender espanhol, francês, italiano e alemão, por exemplo.

Em um primeiro momento, os EUA parecem ser a melhor alternativa, mas o Canadá pode oferecer mais facilidades e um custo total menor. Já para quem gosta de praias, a Austrália pode ser um local muito interessante. Por fim, quem deseja aprender inglês europeu vai se satisfazer com um intercâmbio na Inglaterra.

Conheça os tipos de intercâmbio

Cada faixa etária conta com diferentes tipos de intercâmbio. Conheça:

  • em família: voltado para crianças, o aluno viaja com um ou mais acompanhantes e participa de atividades;
  • curso de idiomas: é voltado para aprendizagem de um novo idioma. Não há um horário específico de aulas;
  • au pair: o intercambista fica com uma família e ajuda a cuidar da casa e dos filhos. Ele também é remunerado por seu serviços;
  • trabalho e estudos: o estudante pode estudar e trabalhar em outro local que não seja a casa de uma família. Ele também recebe na moeda local;
  • high school: o estudante passa um ano do ensino médio em uma escola estrangeira. Quando retorna, essa temporada conta como um ano escolar em seus estudos.

Faça um seguro de viagem

Um seguro de viagem internacional ajuda a evitar desgastes com imprevistos que podem até acabar com a empolgação pela viagem. Um extravio de bagagem, por exemplo, pode deixar o viajante por dias sem ter roupas e utensílios para sua estadia. Com o seguro, é só acioná-lo para ter o auxílio necessário — que vai desde ajuda para recuperar os pertences até aporte financeiro.

O seguro também cobre despesas com saúde. Dependendo do país, despesas com consultas e exames podem ser caríssimas. Portanto, uma viagem bem planejada deve contar com esse tipo de auxílio.

Seguro é obrigatório para quase toda a Europa

Já quem vai para a Europa pode ser beneficiado pelo Tratado de Schengen, uma política de abertura de fronteiras que permite a um turista visitar 26 países da região sem precisar de um visto para cada um deles. No entanto, é obrigatório contar com um seguro-viagem com cobertura mínima equivalente a 30 mil euros, além de ficar por, no máximo, 90 dias no continente.

Aprenda a fazer remessas internacionais

Mesmo com tudo preparado, o dinheiro do estudante pode acabar durante o trajeto, ou então a família pode considerar mais adequado enviar pequenas quantias para que ele possa administrá-lo de maneira mais equilibrada. Neste caso, a solução é fazer remessas internacionais, ou seja, envios da moeda para o exterior.

A melhor maneira, para realizar a transação, é contar com empresas já especializadas em envios internacionais, pois elas costumam ser bem mais em conta do que as feitas com o banco. A empresa vai ajudar a abrir uma conta tanto para o cliente quanto para o intercambista. Por fim, o envio da moeda é mais rápido e fica disponível em até 2 dias úteis. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *